Centro Cultural de Limeira

Ficha Técnica:
Ano: 2015 | Projeto desenvolvido para o Bairro da Gente Aeroclube| Área: 4.500 m² | Localização: Limeira -SP | Status: Finalizado

UMA VARANDA PARA A CIDADE

DESCRIÇÃO GERAL

O centro cultural é um edifício multidisciplinar que une diferentes programas e idades. Sua implantação favorece a integração com as funções externas, tornando-o muitas vezes uma extensão das atividades do entorno. Seu programa destaca-se principalmente pelo cinema, auditório, biblioteca e espaços abertos para cursos de dança e arte. Ladeado no setor norte-sul pela praça central e pelo parque das crianças, o centro cultural se torna um espaço de passagem – permitindo a travessia pela parte interna ou permanência para os usuários. O edifício desempenha uma função de integração cultural importante no bairro devendo ser aberto e acessível em todos os aspectos.

USO E PÚBLICO

O centro cultural é um edifício de uso público que apesar de contemplar um programa específico, absorve também a livre utilização, oferecendo espaços de integração, atividades e vida social. O público em geral é bem diversificado pois suas funções não se restringem a faixa etária, sexo ou condição social. O centro cultural representa um agregador de pessoas e valores onde todos os usuários podem usufruir dos espaços e programa sem imposições. A conceito do projeto foi pensando para atenuar ainda mais seus objetivos funcionais devendo atender as necessidades de um público que varia de 1.500 a 3.900 usuários por dia. Além do seu programa de necessidades básicas, o centro cultural conta com espaços como arquibancada externa, varanda descoberta e exposição ao ar livre que tornam o edifício mais expressivo e convidativo.

CINEMA E AUDITÓRIO

Com uma área computável de aproximadamente 2.000 m², o centro cultural contempla dois cinemas de 158 lugares cada e um auditório de 220 lugares que pode ser utilizado para projeções cinematográficas caso seja conveniente. O complexo conta com áreas de apoio como cabine de projeção, bilheteria, café, bomboniere, sanitários, depósitos entre outros. A previsão de usuários por dia é de 800 a 1.900 sendo um público de idade diversificada em função do período e apesar de ter um movimento frequente, os finais de semana são mais intensos que os dias de semana.

O espaço deve ser fluido e interativo tornando seu ingresso de forma direta e acessível. Deve existir a possibilidade de ser fechado durante a noite e funcionar independentemente do restante do centro cultural.

Estruturalmente em concreto, o edifício busca autenticidade ao explorar seus acabamentos de forma visível e aparente, não procurando esconder nos fechamentos as suas origens construtivas. Os principais elementos para os acabamentos externos são tijolo, vidro e ferro. A área interna, mais elegante e aconchegante busca garantir a qualidade que um projeto desse porte necessita.

Os beirais devem seguir a modulação do projeto tendo no mínimo 2,50m pois oferecem diferentes usos. Em função do programa e da fachada correspondente, esses beirais abrigam eventos como palco voltado para a praça, apoio de barracas de comidas, acesso, fila e apoio para o café.

BIBLIOTECA

Com uma área computável de aproximadamente 1.000 m² dividida em três pavimentos, a biblioteca contempla áreas de acervo, leitura, midiateca e um grande terraço voltado para a área de exposição e intervenções. A previsão de usuários por dia é de 380 a 970 sendo um público predominantemente jovem (de idade escolar), porém aos finais de semana, pretende atrair o público mais velho (adultos e idosos). O espaço deve ser convidativo e atraente além de misturar características de tranquilidade e espontaneidade. Seu horário de funcionamento deve ser individualizado do restante do complexo, porém precisa dar suporte aos cursos de arte oferecidos no centro cultural.

Os principais elementos para os acabamentos externos são vidro no térreo, elementos vazados de concreto ou cerâmico no primeiro pavimento e madeira no segundo pavimento. A área térrea voltada para leitura terá um mobiliário (bancos, vasos e mesas) em madeira ou concreto especialmente desenvolvido para essa área, buscando atenuar seus acessos e delimitações. Os terraços cobertos serão usados como áreas de leitura informal e o terraço descoberto do último pavimento será uma extensão da midiateca promovendo eventos externos.

OFICINAS DE ARTES E DANÇAS

Com uma área computável de aproximadamente 1.400 m² instalada com exclusividade no segundo pavimento as oficinas de arte e dança compõe o programa vocacional do centro cultural. A previsão de usuários por dia é de 370 a 930 sendo um público diversificado e que não necessariamente precisa estar matriculado no curso oferecido. A proposta é que esse seja um espaço que além de ter atividades regulares, possa ser usado como atelier, locais de ensaio e encontros. O programa principal da área artística é voltado para uma pequena escola de design onde os alunos poderão não só produzir suas peças como também expô-las e vendê-las em eventos específicos. As salas de dança devem ser dividas com anteparos móveis (porem acusticamente capazes de isolar o som) com a finalidade de expandir ou diminuir o espaço conforme o programa vigente. Os principais elementos para os acabamentos externos são vidro, elementos vazados de concreto ou cerâmico, madeira e alvenaria. O terraço deve contar com um mobiliário móvel de madeira que permita a flexibilidade dos usos. Uma grande laje livre faz a união desse setor onde acontecerão os diferentes eventos propostos. Está prevista uma escada de largura mínima de 2,50 m que leva o usuário diretamente do espaço público do térreo para o primeiro pavimento.

JARDIM CENTRAL, TERRAÇOS

Em limeira o clima é quente e temperado e existe uma pluviosidade significativa ao longo do ano. Por esse motivo algumas premissas foram levantadas para o projeto do centro cultural. O jardim central surge como delimitador do espaço e organizador do micro clima interno do edifício. A inserção da água e do verde nesse jardim agregam qualidade e bem estar ao usuário. O jardim deve contar com um caminho a ser percorrido, bancos, água, folhagens expressivas, flores coloridas e sombreamento.

Os jardins suspensos serão elementos pré-moldados previstos junto a estrutura do prédio que ajudarão no sombreamento e farão o contraponto de uma laje de concreto seca. Em alguns lugares, esses jardins podem absorver uma horta comunitária mantida pelos usuários e funcionários do lugar.

CROQUI-03

mtf-bag-01

mtf-bag-02

mtf-bag-03

mtf-bag-04