Edifícios de Uso Misto Sol Nascente – DF Prêmio Menção Honrosa

Ficha Técnica:
Ano: 2017 | Concurso Nacional de Arquitetura | Prêmio: Menção Honrosa | Área: 11.150 m² | Localização: Ceilândia – DF | Projeto em parceria com Eduardo Martorelli e Bianca de Cillo

O CONJUNTO E A PRAÇA

O projeto para o setor habitacional Sol Nascente surge para atender parte da demanda de uma densa comunidade carente de infraestrutura básica e cuja evolução não teve planejamento urbano.

A ideia de dispor edifícios de uso misto nos módulos em formato “L”, compostos por 2 conjuntos e permeados por uma praça comum, definiu o partido do projeto em que se buscou a integração dos espaços e a permeabilidade com o entorno através do conjunto e da praça.

No térreo, foi priorizado o uso comercial voltado para as vias de maior hierarquia e para as praças de convivência enquanto o uso habitacional recuado, com mais privacidade, acontece no interior da quadra. A ligação entre as praças que formam os respiros dos prédios é feita sutil e agradavelmente através de jardins internos e passagens que abrigam ora bicicletários, ora pontos de coleta seletiva de lixo, ora espaços multiuso cobertos. As transições de pisos e aproveitamento consciente dos desníveis naturais do terreno guiam os caminhos de pedestres e delimitam as áreas destinadas às vagas de veículos, todas dispostas nesse mesmo pavimento. A definição dos espaços de permanência e passagem inseridos no contexto local possibilitou que a individualidade de cada conjunto se mantivesse, mas ao mesmo tempo criasse uma linearidade onde os diferentes percursos se encontrassem nas praças.

A inserção dessas praças na malha urbana sugere conexões entre todos os conjuntos e o sistema viário existente criando uma continuidade visual aos usuários.

Nos pavimentos superiores as mesmas praças que unem os conjuntos fazem a função de separá-los visualmente como um respiro natural tornando o ambiente interno de cada unidade mais agradável. As aberturas de todos os conjuntos são voltadas para as mesmas faces, sendo elas NE-SO / SO-NE ou NO-SE / SE-NO, favorecendo a iluminação e ventilação natural em ambos os casos.

ECONOMIA E SUSTENTABILIDADE

No interior de cada conjunto, forma-se uma praça arborizada preparada para captar e absorver, em cisternas, águas de chuva para reuso. O desenho de cobertura dos edifícios tem inclinação para dentro do conjunto, fazendo com que as águas de chuva caiam exatamente sobre essas praças. Desta forma, garantimos privacidade e confortos térmico e acústico entre as unidades.

Na cobertura também estão dispostos os reservatórios de água e os painéis fotovoltaicos para aquecimento de água.

As fachadas externas dos conjuntos são marcadas por uma lâmina horizontal de concreto que funciona como brise soleil para sombreamento dos ambientes. Todas as unidades contam com iluminação natural e ventilação cruzada através das grandes aberturas nas fachadas externas e das aberturas altas nas fachadas internas, o que provoca exaustão com efeito chaminé. Há, também, trechos de ventilação permanente, possibilitando troca de ar mesmo durante períodos de chuva. A composição dos conjuntos de apartamentos é feita de modo a concentrar as instalações hidráulicas

O formato escolhido para a implantação do módulo permite que esta seja replicada nos demais terrenos com facilidade, o que é muito eficaz pois otimiza métodos construtivos, reduz desperdícios e resíduos em obra.

Outra grande aliada da economia e confortos térmico e acústico é a escolha de materiais como blocos estruturais de concreto e lajes tipo painel treliçado que compõem a plasticidade dos edifícios.

mtf-sol-01

mtf-sol-02

mtf-sol-03

mtf-sol-04